Ribeirão Grande adota lei para descarte correto de medicamentos

Publicado em 5 de dezembro de 2019

O município de Ribeirão Grande instituiu recentemente uma Lei de autoria do vereador Afonso Gabriel Ferreira Rodolfo (PDT) para adotar o sistema de descarte correto de medicamentos vencidos ou que estejam em desuso e armazenado pela população nas próprias residências, além de uma política pública de informação sobre os riscos causados quando o rejeito ocorre de forma irregular.

De acordo com estudos realizados pelo Sistema Nacional de Informações Tóxico Farmacológicos, os medicamentos, ocupam a primeira posição entre os três principais agentes causadores de intoxicações. Esse tipo de problema é causado, na maioria das vezes, pelo fato das pessoas não saberem o que fazer com cartelas, caixas ou frascos de medicamentos com sobras ou vencidos, utilizando, assim, o lixo doméstico para fazer o descarte do mesmo. Porém, não imaginam o risco que está sendo causado à saúde pública, ao meio ambiente e às pessoas que trabalham em contato direto com os lixos comuns devido às características químicas.

Além disso, materiais como o plástico e vidro levam muitos anos para se decomporem na natureza, sendo o plástico por media de 100 anos e o vidro 4.000 anos. Segundo ainda o autor da lei, a desinformação sobre os riscos de contaminação do solo, das águas, dos alimentos e até mesmo do ar, faz com que a população descarte remédios, produtos de higiene e beleza no lixo comum, causando assim uma contaminação involuntária, que coloca em risco a vida humana e todo o meio ambiente.

O descarte correto de medicamentos em Ribeirão Grande pode ser feito num ponto especial na Farmácia Municipal José Camilo Rodolfo no Centro de Saúde da cidade.

VOLTAR

Site para MEI