Ribeirão Grande lança campanha para restauração de imóvel histórico

Publicado em 19 de junho de 2019

A Prefeitura Municipal de Ribeirão Grande lançou nesta última semana uma campanha para arrecadação de fundos ou materiais para a restauração do mais importante imóvel histórico do Município, a Casa Grande, localizada no bairro Ribeirão dos Cruzes.

A campanha foi lançada pela própria prefeita Eliana Santos junto com a vice-prefeita Rosenilda Preta, com a coordenadora de Turismo, Sônia Araújo, e o vereador Luizão do PT. No vídeo de lançamento publicado nas redes oficiais da Municipalidade, a prefeita explica que devido à negativa dos Governos Estadual e Federal na disponibilização de recursos para esse tipo de atividade, a equipe da Prefeitura decidiu criar uma campanha para atrair voluntários e obter recursos e materiais para iniciar as obras de restauração do imóvel.

Entre as ações da campanha estão atividades como eventos, venda de assados, rifas, entre outras. A Municipalidade, através da coordenadoria do Turismo, também já está organizando um evento para o lançamento oficial da iniciativa, que será realizado no próximo dia 6 de julho, das 16h00 às 20h00, no bairro do Ribeirão dos Cruzes.

Na programação incluiu apresentações artísticas como a dupla Léo e Cleiton, do grupo de fandango de tamanco Cuitelo, e venda de produtos típicos com arrecadação destinada ao Fundo de Restauro da Casa Grande. “Existe campanha de tanta coisa e nada mais justo de que envolvermos toda a comunidade de Ribeirão Grande e cidades vizinhas para preservarmos esse importante patrimônio histórico”, destacou a prefeita Eliana Santos.

Histórico

A Casa Grande é uma construção típica do período colonial (séculos XVIII e XIX), edificada com taipa de sopapo, paredes com vigas de madeira e argila socada com as mãos. Construída por volta de 1780, no primeiro povoado denominado Três Marias (atual Ribeirão dos Cruzes).

O imóvel histórico já serviu como venda (espécie de armazém da época) e posto de troca para atender os tropeiros que vinham do sul do país e aos garimpeiros de ouro de aluvião encontrado no Rio das Almas.

No início do século XX, a família Cruz doou o imóvel para o funcionamento da Igreja do Belenzinho e logo se tornou referência em cerimônias religiosas e festividades da padroeira da comunidade, Sant’ Anna.

Em 1983, quando Ribeirão Grande ainda era um Distrito de Capão Bonito, a Câmara Municipal iniciou um processo junto ao Condephaat para o tombamento do imóvel histórico. Foram mais de 30 anos de espera até que em 2018, a Prefeitura Municipal de Ribeirão Grande conseguiu transformar o prédio em Patrimônio Cultural.

VOLTAR